Todo gestor que busca bons índices on-line estuda a fundo as diretrizes de ranqueamento. Entretanto, alguns conceitos ainda deixam dúvidas. Você já sabe o que é o Google EAT? Neste artigo, falaremos sobre o que essa prática representa e como ela impacta nas estratégias de otimização do buscador. Além disso, apresentaremos algumas táticas para melhorar esse fator em seu site. Siga conosco e aproveite a leitura!

O que é o Google EAT?

Google EAT é uma atualização do algoritmo do Google que se popularizou em 2018. Seu foco é em melhorar estratégias de SEO (Search Engine Optimization). Assim, ele foi criado para evitar que conteúdos negativos, duvidosos e de baixa qualidade apareçam nos primeiros resultados de busca. Dessa forma, a plataforma entrega respostas mais confiáveis aos seus usuários.

Para tornar essa iniciativa real, o algoritmo avalia três aspectos, um para cada letra da sigla. Confira abaixo como funciona.

  • E – Expertise (especialização);
  • AAuthoritativeness (autoridade);
  • TTrust (confiança).

O que o Google EAT avalia?

De acordo com um documento do Google chamado QRG (Quality Raters’ Guidelines), um blog de qualidade possui um alto nível de EAT. Ou seja, níveis superiores de expertise, autoridade e confiabilidade. Para que você entenda como essas palavras funcionam na prática, separamos quais são suas características.

Expertise

Quanto mais a plataforma conhecer o autor do seu conteúdo, mais fácil será para que ela o classifique como relevante. Logo, a expertise está relacionada ao nível de especialização do escritor e do site sobre o assunto redigido. Não podemos afirmar como é feita essa avaliação, contudo postagens feitas por profissionais e uma boa frequência têm mostrado performances melhores do que outras.

Autoridade

Para ser visto como uma autoridade em seu segmento, é indispensável que seu site tenha uma boa UX ― User Experience. Analítico, o Google EAT avalia esse quesito conforme o tempo de permanência do usuário na página. Quanto maior o número, melhor o bot ranqueia seu conteúdo por entender que ele foi útil ao leitor. Ainda, quando o seu blog é citado em outros locais (backlinks), a sua autoridade aumenta.

Confiança

Nesse algoritmo, a confiabilidade de um site tem a ver com o seu nível de segurança. Links quebrados, erros gramaticais, falta de design responsivo ou proteção de dados são itens que geram penalizações. O resultado é o baixo ranqueamento nas buscas, podendo até ficar de fora das primeiras páginas. Portanto, lembre-se sempre de cuidar muito da segurança e credibilidade do seu blog.

Como melhorar o seu Google EAT?

Depois do que leu até aqui, você deve estar se perguntando como fazer para melhorar a sua posição, certo? Então, vamos lá! Além das diretrizes conhecidas e aplicadas em SEO, há algumas práticas que podem ajudá-lo. Abaixo, separamos dicas para alcançar esse objetivo.

[Webinar Gratuito]

Marketing Digital para Indústrias: como atrair tomadores de decisão.

Neste webinar gratuito gravado em uma participação da SMV Brasil, Vitor Guerson, CEO da Tsuru, esclarece como utilizar estratégias digitais para atrair tomadores de decisão, conduzir toda a jornada desse decisor e de fato gerar fechamentos de negócios, ao final.

Acesse aqui e assista agora

1. Garanta boas avaliações

Uma boa imagem corporativa diz muito sobre as páginas de uma empresa. O Google leva em consideração as avaliações em diferentes fontes como reviews em marketplaces, clientes reais e plataformas específicas, como o Reclame Aqui!. Inclusive, perfis em redes sociais, como Facebook, Instagram e Twitter têm grande peso.

De um modo geral, o que o Google EAT faz é traçar uma média geral do sentimento do público em relação ao seu negócio. Então, fique tranquilo quanto às exceções. É normal receber um ou outro comentário negativo. O importante é que isso não se torne uma regra, afinal é fundamental ter consumidores satisfeitos. O SEO e o customer success devem andar lado a lado.

2. Tenha links de sites com autoridade alta

Assim como citado em autoridade, o peso das páginas que levam o usuário até o seu site têm forte impacto na sua relevância. Portanto, links de entrada em URLs famosas no seu nicho acrescentarão muito ao seu EAT. Menções em redes sociais, enciclopédias digitais e fóruns de discussão também são ótimos. Algumas ideias para ser mencionado em sites importantes são:

  • criar conexões off-line com pessoas que são reconhecidas como autoridades em sua área;
  • fazer networking com jornalistas por meio das redes sociais;
  • resumir pesquisas científicas atuais;
  • publicar uma pesquisa.

3. Mencione seus especialistas

Como a expertise é um dos principais critérios do Google EAT, é necessário mostrar quem são os especialistas por trás de seus conteúdos. Blogposts que mencionam seus redatores, principalmente quando têm um histórico na área, são mais valorizados. Se o seu time é jovem ou não divulgou muitos trabalhos on-line, incentive para que comecem.

Uma boa dica é manter postagens frequentes e atualizá-las regularmente. Revisitar artigos, corrigir, atualizar números e ter uma regularidade eleva a sua qualidade da informação. Isso demonstra à plataforma que o texto do documento é atual e relevante, que não está abandonado. Ainda, permite que seus autores criem um currículo maior de trabalhos em seu segmento.

4. Aplique o EAT em seu site

Apesar de ser determinado principalmente por meio de links e menções fora do site, você também deve otimizar a sua própria página. Coloque os termos da sigla em prática e deixe claro à plataforma como a sua empresa se esforça para ser confiável e especialista naquilo que faz. Verifique sempre antes de passar informações ao público, utilize fontes, faça suas próprias pesquisas e invista na experiência do usuário.

Temos certeza de que, seguindo essas dicas, os resultados do seu marketing de conteúdo irão melhorar consideravelmente. Para uma estratégia integrada, que tal complementar esta leitura descobrindo mais sobre o SEO? No blog da Agência Tsuru, temos um artigo que conta tudo sobre como essa estratégia se aplica às empresas de tecnologia. Venha ver!