O LinkedIn é famoso por ajudar profissionais a buscar recolocação profissional, fazer networking e ter caráter exclusivamente profissional (embora, alguns ainda insistam em não manter a compostura). Pouco a pouco, vem se mostrando um parceiro estratégico para quem quer vender mais, especialmente para empresas B2B. Mas, mais que incluir a rede social no calendário de postagens, é saber o que postar.

Porém, não dá para replicar o conteúdo gerado para o Instagram no LinkedIn, certo? Ok, então, como acertar a mão no conteúdo gerado para ele? A resposta está no marketing de conteúdo. Se você conhece um pouquinho de Inbound Marketing, já deve ter ouvido falar nele e hoje nós vamos te dar 4 maneiras de explorá-lo nas suas postagens para o Linkedin.

Neste artigo, você vai encontrar:

Marketing de conteúdo e LinkedIn: por que adaptar sua estratégia a eles?

A gente sabe que o LinkedIn não é uma rede social barata comparada com as demais, afinal, um investimento mínimo de R$20 por dia em uma única campanha pode impactar o orçamento de muitos setores de marketing. Mas, uma coisa é fato: ele entrega o que promete. Mas, neste momento, não vamos falar sobre investimento, mas sim, do que você pode extrair organicamente da rede.

O algoritmo do LinkedIn privilegia, e muito, os conteúdos que mais geram engajamento (esse é o lugar do networking, lembra?), por isso, não é incomum se deparar com publicações de dias, ou semanas, atrás ainda rolando pelo feed. Esse é mais um motivo para você planejar conteúdo exclusivo pensado para a rede corporativa da Microsoft.

E é aí que entra o marketing de conteúdo. Você está em um ambiente profissional, onde pode encontrar facilmente a pessoa certa que representa o seu perfil de cliente ideal. O seu conteúdo pode ser certeiro, uma vez que você pode fazer pesquisas por empresas que interessam à sua e, melhor ainda, por cargo, o que facilita falar “diretamente” com o tomador de decisão.

Ah! Um erro muito comum é procurar por sócios ou donos da empresa, achando que este é  caminho mais fácil para fechar negócio mas, em empresas, nem sempre é ele quem decide. Na verdade, pode até ser quem bate o martelo para fechar negócio mas, pode ter certeza, que há alguém que o amparou com dados e provou que a sua solução é um bom investimento. Então, procure por esta pessoa e dê a ela o que importa!

Postagens para Linkedin: 4 ideias para suas postagens

Agora que você já entendeu que o LinkedIn merece um cuidado especial na hora de montar o seu planejamento digital, vamos ao que trouxe você a este post: afinal, o que postar na página da minha empresa? A gente separou 4 dicas que podem te ajudar.

1. Posts que atacam as dores

As dores são tudo aquilo que incomoda o seu prospect. No dia a dia dele, o que o incomoda e que a sua empresa pode ajudar a resolver? Explore essa dor em seus artigos e publicações. Se você é uma empresa de SaaS, por exemplo, que comercializa softwares de gestão, mostre ao seu prospect como não saber gerenciar seu negócio, ou seu caixa, traz prejuízos a ele.

E-BOOK

Aprenda a investir em Marketing Digital sem medo de errar!

Um guia básico com o passo a passo para pequenas e médias empresas atingirem e conquistarem clientes na internet.

Baixe aqui o e-book "Os primeiros passos para PMEs no Marketing Digital"

2. Replique conteúdo de parceiros

Muitas empresas que comercializam produtos para empresas, e as de T.I são um bom exemplo, costumam ter um rol de fornecedores consagrados. Isso pode ser utilizado no seu LinkedIn, ligando sua marca a dele, o que gera bastante autoridade com a audiência. Replicar esses conteúdos (desde que interessantes para a sua persona, claro), pode ser uma boa ideia de curadoria para explorar no seu planejamento editorial.

3. Ofereça material técnico

Ninguém sabe tão bem do seu produto quanto você. No marketing de conteúdo se preza pelo material rico e que não “empurre” a compra para o cliente, mas que o atraia até a empresa. Mas, você já tem a persona ao seu alcance, já sabe qual a dor dela, por que não oferecer algo mais técnico?

Isso não significa que você vai sair “vendendo o seu peixe” no artigo ou outro formato de publicação, mas que você vai conversar de igual para igual com quem é do seu segmento. Explore diferenciais que fazem a diferença para o seu prospect e mostre sua autoridade no assunto!

4. Invista em outros formatos

A gente usou os artigos como exemplo o tempo todo, mas apenas porque eles são populares e bem aceitos no LinkedIn (está vendo como é perfeito para explorar o marketing de conteúdo?), mas recomendamos que a sua company page explore outros formatos, especialmente o vídeo.

Segundo pesquisa do Google, o brasileiro assiste, em média, 30h semanais de audiovisual. Dessas, 8h são online. Produza conteúdo em vídeo exclusivo para o LinkedIn e garanta uns minutos da sua audiência em um formato que já é até apontado por alguns como o preferido.

LinkedIn Ads: vale a pena investir?

Lembra que falamos acima que o LinkedIn ainda é considerado “caro” por muitos diretores de marketing e CEOs? Na verdade, investir algum dinheiro em uma estratégia sólida de marketing de conteúdo no LinkedIn Ads seja uma forma eficiente de fazer o seu conteúdo chegar ainda mais longe. A versão paga dos anúncios da rede tem um diferencial bem interessante: um alto poder de segmentação do público, o que torna o investimento muito mais direcionado e, claro, com mais chances de conversão.

Quer ajuda de quem entende do assunto e sabe como potencializar os seus investimentos em marketing de conteúdo? Aqui na Agência Tsuru tem um time de especialistas pronto para ajudar o seu negócio. Entre em contato com a gente!

Campanha Renove-se 2019