A internet mudou nossa forma de conversar, de nos informarmos, de andarmos pela cidade, de consumirmos filmes e séries e, claro, não poderia ser diferente com a nossa maneira de comprar. E o Inbound Marketing percebeu isso como nenhum outro método conseguiu. Neste artigo, nós vamos explicar melhor o que é esse novo conceito de marketing que tem ajudado empresas, inclusive do setor B2B, a aumentarem significativamente seus resultados.

Inbound marketing: informação para atrair

Em uma tradução livre, Inbound Marketing é o “marketing de atração”. Na verdade, essa tradução é bem fiel ao que o Inbound realmente faz: ele atrai o cliente. O conceito é bem diferente do que o Outbound Marketing (o marketing tradicional) ensina, que é ir “à caça do cliente”. No Inbound, não. É o cliente quem “caça” a melhor solução.

No começo, pode parecer estranho sugerir que a sua empresa deve esperar o cliente tomar a iniciativa, mas isso não quer dizer que você deve cruzar os braços ― e os dedos ― e torcer para ser escolhido entre tantas opções. Muito pelo contrário!

As estratégias de Inbound Marketing são as iscas que vão fazer o consumidor chegar até você. Como conseguir essa façanha? Informando e oferecendo materiais relevantes, que sejam de real interesse do público (e é sempre bom lembrar que a sua empresa pode não ser de interesse dele neste momento).

As vantagens de investir em Inbound Marketing

Com tanto acesso à informação, presumir que o cliente irá fechar negócio com você porque se encantou com um anúncio é um pouco inocente. Hoje, a internet pode responder toda e qualquer pergunta. O Inbound Marketing está aí para fazer com que seja você a respondê-las para o seu potencial cliente.

Quando você se coloca como fonte de informação, você consegue construir autoridade junto ao público, o que faz com que a sua marca se torne, para ele, uma referência. E na hora de fechar negócio, é muito mais provável que ele procure quem confia e já o ajudou que um completo desconhecido.

E-BOOK

Facebook para negócios locais

Um guia prático, com passo a passo, para negócios locais alcançarem mais clientes. Se você tem um negócio local, baixe agora gratuitamente este e-book.

Acesse aqui o e-book

Algumas outras vantagens do Inbound Marketing são:

  • Conteúdos perenes: ao finalizar uma campanha de anúncios, todo vestígio dela irá desaparecer, certo? Com os conteúdos produzidos no Inbound Marketing, não. Mesmo que você mude as estratégias, os materiais publicados continuarão ali, servindo de base e, se bem otimizados para os mecanismos de busca, gerando tráfego.
  • O custo é bem menor: nesse modelo, os custos chegam a diminuir até 62% se comparados aos investimentos em marketing tradicional e gera até 3x mais oportunidades de negócio, de acordo com levantamento realizado pela Demand Metric
  • Tudo é mensurável: ainda comparando com o marketing tradicional, você não precisa esperar a campanha chegar ao fim para conhecer os resultados. No Inbound Marketing, você tem acesso às métricas que relatam tudo o que acontece, dia a dia, o que fornece informações valiosas que podem auxiliar na tomada de decisões.

Glossário de expressões mais comuns do Inbound Marketing

O Inbound Marketing está repleto de termos técnicos, então, elaboramos um pequeno glossário com as expressões mais comuns e que você deve conhecer melhor se quiser investir de verdade no marketing de atração.

  • Leads: são os contatos de potenciais clientes. A partir do momento que o visitante demonstra qualquer interesse pela sua solução (faz o download de um material da sua empresa ou fornece dados na página de contato) ele passa a ser tratado como lead, alguém que tem potencial de compra.
  • KPI: o Marketing Digital tem a grande vantagem da mensuração. Tudo pode ser medido! As KPIs de marketing são o conjunto de métricas que, cruzadas com outros dados, fornecem um panorama mais aprofundado do andamento da estratégia.
  • ICP: Ideal Costumer Profile ou, simplesmente, perfil de cliente ideal. É a personificação do cliente perfeito da sua empresa. Traz informações detalhadas, diferente do antigo “público-alvo” que definia padrões genéricos como sexo, classe social e faixa etária.
  • Funil de vendas: composto por topo, meio e fundo, ele desenha o trajeto que o cliente percorre desde o momento em que tem o primeiro contato com a sua empresa até o fechamento da compra. Ele é imprescindível para definir os conteúdos e estratégias que serão adotadas.
  • Marketing de conteúdo: um dos pilares do Inbound Marketing, é a estratégia de usar o conteúdo de acordo com cada etapa do funil de vendas, produzindo material relevante e que engaje o leitor.
  • Blogposts: são os artigos publicados no blog corporativo da sua empresa, formatos bastante populares no Inbound, neles o marketing de conteúdo explora o que pode ser interessante e explicativo para o ICP;
  • E-books: são materiais mais ricos que os blogposts, com produção muito mais aprofundada e são ofertados ao público como uma forma de captar leads.
  • Landing pages: páginas específicas para captação de leads. Nas landing pages, você fará uma oferta (como os e-books, que falamos acima) em troca de dados importantes do visitante, como nome, cargo e e-mail.
  • SEO: conjunto de técnicas que são utilizadas de modo a ranquear um conteúdo ou um site nas primeiras posições dos resultados de pesquisa. Pequenas ações como palavras-chave estrategicamente posicionadas no conteúdo ajudam o Google a entender a relevância do seu material.
  • Outbound Marketing: é como é chamado o marketing tradicional, que prega por ações interruptivas. Longe de ser descartado como meio de divulgação, se combinado com o Inbound pode potencializar os resultados.

Esses são só alguns dos termos utilizados, mas, com certeza, são os mais importantes. Agora que você já sabe o que é, quais as vantagens e já está por dentro da “língua” dessa metodologia, entre em contato com um dos especialistas da Agência Tsuru para ajudar você a pensar na sua estratégia de Inbound Marketing!

eBook: Aprenda a investir em Marketing Digital sem medo de errar