O Natal é a data comemorativa mais importante para o comércio. É a época em que os empresários mais se dedicam para conquistar definitivamente o público, de modo que o saldo, mais do que em qualquer outra ocasião, seja extremamente positivo, que suas empresas superem suas próprias expectativas e encerrem o ano com um faturamento recorde.

A fim de obter o melhor desempenho, muitas empresas aumentam consideravelmente o estoque para que toda a demanda seja atendida. É aí, então, que uma questão surge: o que fazer com os inevitáveis produtos encalhados após o Natal?

Oferecer descontos é a alternativa mais interessante, inclusive para quem investe no comércio eletrônico. Seguindo os moldes do Black Friday, o Boxing Day – data tradicional em vários países europeus que oferece descontos especiais –, passou a ser adotado aqui, no Brasil, em 2011 (dia 26 de dezembro, especificamente).

Desde o ano passado, o País passou a adotar o Boxing Week (seu início foi no Canadá), com a finalidade de esticar o período de ofertas de apenas um dia para toda uma semana: a que liga o Natal ao Ano Novo. Em 2013, no entanto, esse período foi alterado para 20 a 27 de dezembro.

Clientes e comerciantes encontram vantagens no saldão de Natal. Para o público, existe a vantagem de achar produtos muito mais baratos do que em outras épocas do ano; para os empresários, é a oportunidade de limpar o estoque.

[Webinar Gratuito]

Estratégias digitais para negócios B2B enfrentarem a crise.

Neste webinar gratuito gravado em uma participação da SMV Brasil, Vitor Guerson, CEO da Tsuru, esclarece como negócios B2B podem extrair bons frutos de estratégias de marketing digital nesse momento de crise mundial.

Acesse aqui e assista agora

Em 2012 (primeiro ano do Boxing Week), Pedro Eugênio, responsável pelo site Busca Descontos, que realiza o saldão, afirmou que “as vendas do comércio eletrônico para o Natal se encerram antes devido aos prazos de entrega e os dados preliminares indicam que o setor não vai bater a meta de venda de 25% de crescimento em relação ao ano passado. Para nós, isso significa mais encalhe e mais descontos”. Este ano, as metas de venda são outras, mas a necessidade de oferecer descontos para dar fim ao encalhe é a mesma.

Saber o que fazer com aqueles produtos restantes na prateleira (virtual ou não) é o desafio de quem quer oferecer boas ofertas para os clientes no pós-Natal sem que isso seja sinônimo de prejuízo para a empresa. O saldão é, sem dúvida, a melhor saída. Você garante a satisfação do seu público e ainda lucra com isso.

Se estiver interessado em estender esta conversa, fale conosco!